Ao tomar posse, Raquel Dodge defende a harmonia entre os poderes | Bastidores da Notícia

0
Em uma cerimônia rápida, de cerca de 30 minutos, Raquel Dodge tomou posse nesta segunda-feira (18/9) no cargo de procuradora-geral da República. A nova chefe do Ministério Público Federal (MPF) ocupa a vaga deixada por Rodrigo Janot, que atuou à frente da instituição por quatro anos. A solenidade teve início às 8h, no auditório Juscelino Kubitschek, da Procuradoria-Geral da República (PGR), em Brasília.
(Ao tomar posse, Raquel Dodge defende a harmonia entre os poderes. Foto: Michael Melo/Metropolis)
Após a execução do hino nacional, Temer e Dodge assinaram o termo que dá posse no cargo à procuradora-geral da República. Em seguida, a procuradora-geral falou aos presentes. “Recebo com humildade o precioso legado de serviço à Pátria forjado pelos procuradores que me antecederam. O Ministério Público deve promover justiça, promover a democracia, zelar pelo bem comum, garantir que ninguém esteja acima da lei e que ninguém esteja abaixo da lei”, disse.
A chefe da PGR disse que “a harmonia entre os poderes é um requisito para a estabilidade da nação”. Afirmou também que será necessária a ajuda de todos os membros e servidores do Ministério Público Federal. “O caminho que leva à liberdade e à integridade tem obstáculos que só podem ser superados com resiliência e coragem”, declarou.
Segundo Dodge, “a nação brasileira valoriza a liberdade de expressão e a união, aprecia a democracia e repudia a corrupção” e que “renova a esperança”, agora, em seu novo cargo. Ela reforçou que conta com “a firmeza de cada procurador e promotor do país em seus ofícios”.
“Estou ciente da enorme tarefa que está diante de nós e da legítima expectativa que seja cumprida com equilíbrio, firmeza e coragem com fundamento na Constituição e nas leis”, continuou. A primeira mulher na liderança da PGR citou o Papa Francisco ao falar da corrupção. “É uma tarefa necessária, que exige de nós coragem. O país passa por um momento de depuração”, concluiu.
Em seguida, foi a vez do presidente Michel Temer falar. Ele disse que é uma honra extraordinária dar posse a Raquel Dodge. “Nós todos sabemos dos atributos da vida profissional, do trabalho desenvolvido pela procuradora-geral ao longo do tempo”, afirmou, enfatizando que ela é a primeira mulher no cargo.
Compuseram a mesa o presidente da República, Michel Temer, a presidente do STF, Cármen Lúcia; a nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge; o presidente da Câmara, Rodrigo Maia; e o presidente do Senado, Eunício Oliveira. Entre os presentes à sessão, os ministros do STF Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Dias Toffoli e Alexandre de Moraes.
Também compareceram o presidente do Tribunal Superior do Trabalho, Ives Gandra da Silva Martins Filho, além do ex-procurador-geral da República, Roberto Gurgel.
Primeira mulher a ocupar o cargo, Raquel Dodge foi indicada em junho pelo presidente Michel Temer como procuradora-geral da República, a partir de lista tríplice da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). Seu nome foi aprovado pelo Senado em julho, com 74 votos favoráveis e um contrário, além de uma abstenção. A nova procuradora-geral da República será a primeira representante do DF a ocupar o cargo.
Além da cadeira, Raquel Dodge herda de Rodrigo Janot polêmicas da gestão anterior relacionadas à Operação Lava Jato e inquéritos em aberto no Supremo Tribunal Federal. A troca de comando do órgão ocorre uma semana após Janot denunciar o presidente Michel Temer e boa parte da cúpula do PMDB. Com informações do Metropolis-DF.

Postar um comentário

 
Top