Homenagem a Jorge Grego Papadopulos um imigrante pioneiro de Costa Marques RO. | Bastidores da Notícia

0
Quem foi Jorge Grego Papadopulos - um dos imigrantes pioneiros de Costa Marques.
A história de um povo é construída com os elementos e os significados pertencentes aos costumes e adaptações que se misturam oriundos dos autóctones e alóctones (o primeiro - pessoas que nasceram na região em que habitam; o segundo - aqueles que não são originários do lugar ou país, mas que se fixam suas raízes ajudando a construir a história onde habitam). 

Costuma-se usar o chavão grotesco de que "quem vive do passado é museu ". Mas é bem verdade que para se entender o presente e registrar o que perpassará às gerações, não é possível sem se conhecer o passado, talvez por essa compreensão tacanha se ouça, também, que o nosso país não tem memória!





Costa Marques, tem sim, contribuições dos alóctones que ficaram e ficarão indelevelmente na memória dos costamarquenses pelo muito que contribuíram com a formação da nossa história. Lembramos com gratidão dos Suriadakis, Russelakis, Deméritos Mellas, Ibañes, Hassib Cury e, aqui, por oportuno, lembramos do senhor Jorge Grego.
Seu nome era Jorge Denis Papadópulos, de nacionalidade grega que nasceu pelos idos de 1929. Seu pai chamava-se Dionísio Papadópulos e sua mãe Kaciani Papadópulos Cristópulos. Ele comerciante e ela do lar. Os filhos de Jorge pouco sabe informar dos seus ancestrais, em função de não os terem conhecido e de os mesmos sempre terem vivido em países distantes.

    Reprodução

Ainda muito jovem Jorge Grego imigrou para o Brasil fixando-se em São Paulo onde trabalhou por alguns anos como camelô, Depois migrou para Campo Grande e alí construiu família de cuja união, que durou pouco, teve duas filhas: Maria Suely e Kátia Papadópulos; Em 1968 chegou e ficou em Costa Marques e pelas constantes visitas ao Forte Príncipe da Beira, conheceu a senhorita Aida Añes de Oliveira com quem se casou em união que durou até a morte de Jorge.


 Em função de uma parada cardíaca veio a óbito em 1988,com a senhora Aida, Jorge Grego teve quatro filhos: Denis, Denize, Dina e Sotíria Papadópulos o primeiro é proprietário do hotel "Pousada Pascana" Jorge Grego, como os demais imigrantes supramencionados, veio para Costa Marques atraídos pelo extrativismo do látex e da castanha do Pará. Por 20 anos singrou as águas do Rio Guaporé comercializando com os ribeirinhos brasileiros e bolivianos, em troca do látex, castanha, porco, Carneiro, galinha, etc.

A imagem pode conter: 2 pessoas
         Foto: Denis

 Foi um dos pioneiros na compra do gado na região que os abatia e vendia no seu açougue, tornou-se, portanto, um comerciante bem-sucedido em mais de uma vertente do ramo e nos seus comércios em Costa Marques e na Bolívia, vendia da estiva a confecção. 
O comerciante Jorge Grego deu emprego a muita gente e ajudou a construir a economia do Município de Costa Marques de antanho e, como frutos do seu trabalho aguerrido, construiu aqui considerável patrimônio; O que os seus filhos Denis e Dina nos informaram sobre o pai, é reafirmado pelos costamarquenses que conheceram Jorge Grego atribuindo-lhe adjetivos de uma pessoa otimista, positiva, cordial; de posicionamento firme, amigo e pai de família exemplar.
Seus restos mortais estão acalentados em um jazigo que, a pedido de Jorge e com a aquiescência das autoridades da época, se encontra na propriedade da família a 8 Km da área urbana de Costa Marques, à margem direita, sentido Costa Marques /Forte Príncipe, da estrada Mário Nonato. 
O jazigo de Jorge Grego à margem da estrada desperta muitas curiosidades aos transeuntes que nos visitam, daí a exarada informação neste simplório noticioso.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé
Dina

A imagem pode conter: 1 pessoa
Denise 
 Fonte: Prof. CarlosAlberto/JornalBastidoresNoticia
Informações: Denis Papadopulos e Dina Papadopulos.


Postar um comentário

[Copa do mundo 2018][vertical][recent][5]

 
Top