Como melhorar a memória para estudar para concursos | Bastidores da Notícia

0
Na hora de estudar para provas e concursos públicos, reter ou relembrar as informações é essencial para obter o sucesso!
Assim como o corpo precisa de exercícios físicos, a memória também demanda cuidados. Se esquecer as datas de compromissos e outros fatos importantes já é prejudicial no dia a dia, os lapsos de memória durante os estudos afeta ainda mais suas chances de passar em um concurso público.
Os aliados dos estudantes são a regularidade, disciplina e até mesmo a ajuda de vídeo aulas e cursos preparatórios online personalizados para estudar para as provas de cada vaga. Porém, como agir quando a memória não faz a parte dela para otimizar os estudos para os concursos públicos? Seu funcionamento é explicado pela ciência como uma proteína codificada no cérebro, que, como todo qualquer sistema, também possui o seu limite de armazenamento, que pode ser alterado por uma série de fatores.
Desatenção, estresse, depressão, insônia e ansiedade afetam principalmente a memória de curto prazo. Dentre os três mecanismos dessa capacidade cognitiva, estão a aquisição, evocação e armazenamento, e qualquer um deles pode acabar prejudicado por circunstâncias emocionais.
Consequentemente, esses fatores também podem diminuir as suas chances de passar em concursos públicos e desperdiçar excelentes salários como o de concursos que devem ocorrer nos próximos meses – concurso do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ SP), e do concurso da Universidade Federal da Bahia, por exemplo.
Confira 5 dicas para melhorar a memória na hora de estudar para o concurso público
1 – Calma e tranquilidade são características que não devem ser priorizadas somente na hora da prova
Durante os estudos, elas são essenciais para otimizar o processamento de aprendizado, pois, quando estamos distraídos, perdemos o foco e a capacidade de memorização.
Para não perder a calma durante os estudos para os concursos públicos, algumas dicas são:
Converse consigo mesmo: ainda que mentalmente, a prática serve para acalmar o estudante, mas atenção: somente devem ser usadas palavras de incentivo, pois a depreciação irá piorar mais a situação. Repita a si mesmo que você é inteligente e irá conseguir concluir a tarefa e veja o sucesso dessa medida na sua nota de aprovação do concurso no futuro!
Pratique a meditação: guiada por vídeos na internet ou por aplicativos no celular, diariamente ou semanalmente, não importa o jeito, a prática é cientificamente comprovada como um calmante natural, pois relaxa e “limpa” a mente para o que há por vir: muito estudo e dedicação para passar no concurso.
Estabeleça rotinas de estudo: assim, a prática irá se tornar corriqueira no dia a dia, acostumando o cérebro e a mente com os estudos. Isso também é benéfico na hora de organizar e decorar os temas para as provas dos concursos, oferecendo mais tempo para a absorção dos conceitos.
Sente-se corretamente e respire pausadamente: a postura faz toda a diferença para a mente e sentar-se ereto oferece confiança, que é levada a sério pelo cérebro.
A respiração errada também é prejudicial: o ideal é que o estudante se acalme respirando profundamente e expirando lentamente, com uma mão no peito e outra na barriga para sentir o diafragma. Simples, o exercício oferece o controle necessário diante das emoções durante os estudos ou mesmo na hora das provas.
2 – Cuidar das amígdalas melhora a memória e a qualidade do estudo
Já com a saúde emocional em dia, a aquisição de informações é mais intensa e conta com a participação das amígdalas, que fazem parte da região cerebral. Uma curiosidade é que os tipos de amnésias estudados nos últimos anos classificam as amígdalas como peças importantes para a formação da memória. Portanto, cuide bem das suas para manter seu organismo e capacidade de memorização saudáveis para as provas dos concursos públicos. 
3 – Dormir bem é fundamental na hora de estudar para concursos
Ao se preparar para um concurso público é comum as pessoas dormirem menos para aproveitar melhor o tempo estudando. Segundo um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, a quantidade do sono profundo está diretamente ligada com a qualidade da memória. Afinal, os sistemas de memória demandam tempo para processar informações, e esse processo é realizado durante o sono. Lembre-se que seu corpo precisa descansar e o sono é essencial para a saúde física e mental. Por isso, tente dormir pelo menos entre 7 a 8 horas por noite. 
4 – Um corpo alimentado ajuda a memorizar melhor seus estudos
 A alimentação também é um fator decisivo para conquistar uma super memória para disputar uma vaga no concurso. Com o corpo alimentado de três em três horas, o cérebro permanece ativo e pronto para memorizar. Entre os alimentos que potencializam seus estudos, estão aqueles que contêm glicose, combustível principal para o bom funcionamento dos neurônios cerebrais. Dê preferência aos legumes, frutas, ervilha e feijão. O zinco, encontrado em ovos, carnes vermelhas, ostras, latícinos e caranguejos, também atua na atividade neuronal fortalecendo a memória e a concentração.
5 – Exercitar o corpo e a mente ajuda a vencer a batalha do concurso público
É cientificamente comprovado que os exercícios físicos beneficiam imensamente a memória. Um estudo desenvolvido pela Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, apontou que um ano de atividades físicas moderadas aumentou o tamanho da região do hipocampo (estrutura localizada nos lobos temporais do cérebro humano que é considerada a principal sede da memória) de adultos saudáveis.
De acordo com uma pesquisa divulgada na revista Neurology, a prática de exercícios físicos pode ser mais eficiente para a memória do que o estímulo promovido por atividades mentais. Não há contraindicações e nem prescrições: os exercícios devem ser prazerosos para ativar a endorfina e liberar ondas de prazer ao corpo. Vale tudo, desde caminhadas, até corridas, lutas marciais ou atividades aeróbicas, pelo menos uma vez por semana e durante 30 minutos.
Outro fator importante para exercitar a memória é a prática constante de exercícios como palavras cruzadas, que incentivam e fortalecem a região cerebral responsável pela memorização.
Daiana Barasa- Aprova Concursos

Postar um comentário

[Copa do mundo 2018][vertical][recent][5]

 
Top