Opinião - Precariedade da BR 364 continua matando | Bastidores da Notícia

0
Restaurar e posteriormente duplicar a BR 364, a mais importante rodovia federal, que corta Rondônia da divisa com o Mato Grosso ao Acre é campanha permanente do Rondônia Dinâmica e de enorme interesse econômico e social do Estado. Restaurar o piso, sinalizar, fiscalizar são ações imperiosas.  
A rodovia foi inaugurada na década de 80, quando não tínhamos a tecnologia de hoje e muito menos veículos transportando toneladas como carretas e bitrens, que tomam conta da 364. A situação se agrava nos períodos de safra de grãos de Rondônia e Sul do Mato Grosso, quando o movimento é intenso no Porto Graneleiro no rio Madeira em Porto Velho. A base da rodovia não tem suporte técnico, para atender a demanda.
 O RD vem desenvolvendo uma campanha mensal de cobrança das autoridades federais (bancada federal) composta de três senadores e oito deputados a restauração e não apenas a recuperação da BR 364. A cobrança não é apenas, pela importância econômica de um país e, consequentemente do Estado, que depende do transporte rodoviário. A BR se tornou um “Corredor da Morte” ou “Matadouro Humano” devido ao elevado índice de acidentes com morte.
Ainda não estamos em período de safra, mas nas últimas semanas tem aumentado de forma considerável o volume de acidentes com vítimas fatais no trecho de Porto Velho a Vilhena, na divisa com o Mato Grosso com cerca de 700 quilômetros. Diariamente famílias choram a morte de entes queridos, seja devido a acidentes provocados pelo piso ruim, sinalização precária, fiscalização deficiente e também pelos constantes abusos de motoristas e motociclistas.
É grande a lista de pessoas que perderam a vida, a maior parte pela péssima qualidade da estrada, que não tem suporte suficiente para atender o grande volume de veículos que por ela transitam diariamente. Há também muitos motoristas e motociclistas irresponsáveis.
A sociedade organizada, inclusive associações, entidades classistas e principalmente os políticos federais devem se unir em busca de solução para a BR. Mas isso não impede que o governo do Estado, deputados estaduais, prefeitos e vereadores exijam mobilizações concretas, para a restauração da 364. É preciso ação, cobrança veemente, permanente junto ao Dnit e à bancada federal.
O tapa-buracos, que é efetuado todo ano, fazendo da rodovia uma colcha de retalhos não tem condições de garantir segurança aos motoristas e motociclistas. A BR 364 depende de restauração e posterior duplicação, pois não pode continuar favorecendo a acidentes e matando pessoas.
Também é preciso que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) seja mais eficiente no trabalho de fiscalização e orientação. O anúncio em junho/julho que, devido a problemas financeiros a PRF iria diminuir o efetivo e a fiscalização permanente foi negativo. Os acidentes aumentaram nas últimas semanas. Basta verificar a os dados da gloriosa PRF e constatar quantos acidentes ocorrem nos últimos dois meses na BR 364. Boa parte com vítimas fatais.
O RD mantém a cobrança mensal das autoridades políticas e empresariais pela restauração da BR 364, no trecho Porto Velho a Vilhena, na divisa com o Mato Grosso e uma posterior duplicação. Rondônia precisa da 364 em boas condições de tráfego, para se manter como um dos Estados de boa condição econômico-financeira, mas acima de tudo diminuir e até zerar as estatísticas acidentes, pois a rodovia é uma das suas mais importantes fontes de renda.
A BR 364 que é uma fonte permanente de progresso e desenvolvimento do Estado. Não pode continuar ceifando vidas devido à negligência dos políticos, empresários omissos, órgãos fiscalizadores inoperantes e dos motoristas e motociclistas inconsequentes.
BR 364. Restauração Já!
Fonte: Waldir Costa

Postar um comentário

[Copa do mundo 2018][vertical][recent][5]

 
Top