Operação ‘Nuvem de Gafanhoto’ prende dez pessoas em Rondônia | Bastidores da Notícia



Várias armas foram apreendidas pela Polícia Civil nesta quarta (Foto: Polícia Civil/ Divulgação)

Dez pessoas foram presas nesta quarta-feira (14), durante a operação “Nuvem de Gafanhoto”, deflagrada pela Polícia Civil em conjunto com a Polícia Militar (PM) na região do Vale do Guaporé e Central. A ação teve o objetivo de combater invasões de terra e conflito agrário nos municípios do eixo da BR-429. Durante a operação, várias armas e munições foram apreendidas e nove pessoas foram presas no município de Seringueiras (RO) e uma em Ji-Paraná (RO).
De acordo com a Polícia Civil, o grupo já havia invadido pelo menos oito fazendas na região de Seringueiras, causando um prejuízo de cerca de R$ 10 milhões.
Durante uma coletiva de imprensa realizada em Rolim de Moura (RO), o delegado que coordenou a parte operacional da operação, Willian Sanches, explicou que há 10 meses o grupo vem aterrorizando propriedades rurais principalmente na região de Seringueiras. Cerca de oito propriedades foram invadidas pelos suspeitos.
“Fortemente armados, eles invadiam as fazendas e mantinha os proprietários e funcionários como reféns enquanto roubavam bens das vítimas. Depois de fazer pressão psicológica aos reféns, destruir os bens e matar animais, os criminosos fugiam do local levando vários objetos das vítimas, como joias, maquinários e dinheiro”, revela.


Comandantes da operação durante coletiva de
imprensa (Foto: Rogério Aderbal/ G1)

Conforme o delegado, o grupo é investigado por diversos crimes, entre eles, tortura, roubo, formação de quadrilha e destruição de patrimônio privado. “Segundo as investigações, só em uma fazenda que eles invadiram, permaneceram por lá cerca de 60 dias e deixaram para trás um prejuízo de cerca de R$ 10 milhões, tendo em vista, que destruíram praticamente toda a propriedade”, explica.
Conforme o diretor geral da Polícia Civil, Eliseu Müller, durante a operação nove pessoas foram presas em propriedades rurais de Seringueiras e uma na cidade de Ji-Paraná. Também foram apreendidas nove armas de fogo e uma grande quantidade munições de diversos calibres.
“Sete pessoas foram presas em cumprimentos de mandados de prisão e três foram flagranteadas, por estarem em posse de armas de fogo”, relata.
A operação, segundo Müller contou com a participação de 11 delegados, 107 policiais civis e militares, 27 viaturas e um helicóptero. Os suspeitos foram transferidos para a Delegacia de Polícia de Civil, em São Miguel do Guaporé (RO), onde estão sendo ouvidos pelos investigadores. As prisões são temporárias, com prazo de 30 dias de duração, podendo ser prorrogadas por mais 30 dias.
Operação
O nome ‘Nuvem de Gafanhoto’ é uma referência ao inseto que é capaz de comer uma quantidade de alimento maior que seu próprio peso. E quando anda em bando, forma a chamada nuvem devastando plantações rapidamente.
Segundo a Polícia Civil, estas organizações criminosas têm atuado como gafanhotos na região do Vale do Guaporé causando vários prejuízos às comunidades.

[Copa do mundo 2018][vertical][recent][5]

 
Top