Ministério da Saúde envia mais de R$ 2,2 milhões para Rondônia combater mosquito da dengue | Bastidores da Notícia


Ministério da Saúde envia mais de R$ 2,2 milhões para Rondônia combater mosquito da dengueAgente de endemias
O estado de Rondônia receberá R$ 2.291.930,22 para ser distribuído entre os 52 municípios para intensificar as medidas de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e febre chikungnya. O recurso foi garantido em portaria, publicada na quinta-feira e deverá ser liberado aos municípios em duas parcelas.
De acordo com o Técnico da Agência Estadual de Vigilância Sanitária que trabalha no Programa de Controle da Dengue, Ednaldo Lira, este número tende a aumentar neste período chuvoso. “Durante o ano de 2015 para 2016 nós tivemos um acréscimo considerável no número de casos de Dengue. Estamos fazendo muito esforço neste sentido de reduzir a infestação do vetor. Porém, estamos com uma perspectiva de aumento por conta do período chuvoso, que também é esperado”, afirma.
Na primeira etapa, serão repassados pouco mais de R$ 1,3 milhões, a partir da data da publicação da portaria. O repasse da segunda parcela está condicionado ao cumprimento de alguns critérios, cujas informações deverão ser consolidas pelas secretarias estaduais de saúde e repassadas ao Ministério até o dia 30 de junho de 2017.
Um dos critérios para que os municípios recebam a segunda parcela, de quase R$ 917 mil, é a realização do Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), no caso de cidades com mais de dois mil imóveis. Já os municípios com menos de dois mil imóveis deverão realizar o Levantamento de Índice Amostral (LIA) e, as cidades sem infestação do mosquito, devem realizar monitoramento por ovitrampa ou larvitrampa.

Segundo divulgado pelo próprio Ministério da Saúde, pelo menos nove municípios de Rondônia estão risco de surto da três doenças transmitidas pelo mosquito, por isso é muito importante intensificar o combate. O último levantamento feito pelo órgão, aponta que Monte Negro, por exemplo, está em situação de risco para a infestação do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya. O índice apresentado está em 7,1%, bem acima do que é permitido. 

[Copa do mundo 2018][vertical][recent][5]

 
Top