Acusados de matarem ex-presidente da OAB de Cacoal são absolvidos | Bastidores da Notícia

O Tribunal do Júri de Cacoal, cidade a 480 quilômetros de Porto Velho, absolveu os acusados do homicídio do ex-presidente da Ordem dos Advogados Seccional de Rondônia (OAB/RO), Valter Nunes de Almeida. O crime aconteceu no dia 30 de março de 2007 em Cacoal (RO). Por decisão unânime, o júri popular absolveu os réus envolvidos no caso. Durante o processo, 35 testemunhas foram ouvidas, além dos réus. O julgamento considerado o mais longo de Cacoal durou cinco dias e terminou no fim da tarde desta sexta-feira (25).
Apesar de discordar da decisão, o promotor Diogo Boghossiam Soares da Rocha ressalta que a Justiça tem que ser respeitada. "Conseguimos explorar o que tinha que ser feito e infelizmente a decisão não foi a que gostaríamos mas respeitamos a decisão da justiça”, afirma o promotor.
Para o juiz de direito da 1ª Vara Criminal de Cacoal, Carlos Roberto Rosa Burck, independente do resultado, o julgamento era uma página que "precisava ser virada" em memória da vítima.

"Esse é um trabalho que muita gente duvidou que pudesse ser feito em termo de tempo e organização. Foram cinco dias de julgamento sem nenhum incidente. Esse era um caso que, independente do resultado, era muito importante para a comunidade de Cacoal, afinal, o Dr. Valter era presidente da OAB na época e uma pessoa com um trabalho social muito importante no município", declara.
Para o filho da vítima e advogado da viúva, Diórgenes Nunes de Almeida, a justiça foi feita. "Há anos que nossa família esperava acabar com essa injustiça. Tem uma frase que sempre falo que diz, 'a injustiça contra um é uma ameaça contra todos', e nesse caso vai servir de lição para Cacoal, pois todos esses fatos que foram denunciados de desvios de investigações e tudo que nossa família sofreu nesses últimos quase 10 anos deve servir de análise e reflexão para a sociedade", desabafa o advogado.
O júri popular teve início na segunda-feira (21) e foi realizado no auditório do campus da Universidade Federal de Rondônia (Unir) por decisão do juiz que conduziu os trabalhos, pois o fórum de Cacoal não possui estrutura suficiente para o júri, em razão alto número de testemunhas e do interesse da sociedade, devido a repercussão social do crime.
O caso
Cassio de Jesus e Jonas de Freitas foram acusados de matar o ex-presidente da subseção da OAB de Cacoal, em 2007. Cassio seria o piloto da motocicleta enquanto Jonas o autor dos disparos. Vera Nunes de Almeida, viúva da vítima, e Sóstenes Alencar, suposto amante, seriam os mandantes do crime e teriam pago a quantia de R$ 300 mil para que o crime fosse realizado.
O crime
O advogado foi assassinado com seis tiros, no dia 30 de março de 2007 no centro da cidade. A vítima estava no escritório onde trabalhava quando foi surpreendido por dois homens que já chegaram atirando.

Conteudo: http://g1.globo.com/ro/cacoal-e-zona-da-mata/noticia/2016/11/acusados-de-matarem-ex-presidente-da-oab-de-cacoal-sao-absolvidos.html
 
Top