Sem a Guia de Transporte de Animais, frigoríficos poderão parar em RO | Bastidores da Notícia

As servidores da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron) iniciaram greve nesta segunda-feira (2) e paralisaram a emissão de Guias de Transporte de Animais (GTA) em todo o Estado.

Greve dos servidores da Idaron paralisa emissão de GTA e ameaça produção de carne em Rondônia
Greve dos servidores da Idaron paralisa emissão de GTA e ameaça produção de carne em Rondônia(Foto: G1 Rondônia)



A medida deve influenciar negativamente na produção dos frigoríficos, uma vez que o transporte de animais fica inviabilizado sem a GTA. Segundo a Idaron, 560 guias, com finalidade de abate, foram emitidas entre segunda e esta terça-feira (3). No mesmo período da semana passada foram emitidas 630, ou seja, a greve ainda não afetou a produção de carne no Estado.



Contudo, segundo o presidente da Associação dos Produtores Rurais de Rondônia, Adélio Barofaldi, são abatidas 10 mil cabeças de gado por dia, em todo o Estado, a preço médio de R$ 2 mil cada uma. Com a paralisação, conforme a associação, o prejuízo gira em torno de R$ 2 milhões por dia, somente no setor de abate.



Servidores grevistas da Idaron estiveram na Assembleia Legislativa para conversar com o Governo, mas sem sucesso (Foto: G1 Rondônia)


Nesta terça-feira, servidores da Idaron estiveram na Assembleia Legislativa para uma conversa com o Governo, que seria mediada pelos deputados estaduais, mas os representantes do Executivo estadual não compareceram. “Para esta quarta-feira (4) está agendada uma audiência de conciliação, no Tribunal de Justiça, onde grevistas e governo devem entrar em acordo”, explicou o presidente do sindicato dos servidores da Idaron (Sindsid), Rafael Evangelista.



De acordo com o sindicalista, os servidores aguardam há 10 meses uma decisão da Mesa Estadual de Negociação Permanente (Menp), no entanto, até esta terça-feira sequer foram atendidos para uma conversa. A pauta de reivindicações, segundo Rafael Evangelista, contém três pontos que devem gerar 0,1% de impacto no orçamento do Estado.



“Queremos a correção no PCCR da pontuação dos servidores administrativos e técnicos e a alteração nas tabelas de progressão dos servidores com ensino superior”, salientou. A Idaron informou que não tem conhecimento da quantidade de trabalhadores que estão paralisados. (As informações são do G1 Rondônia.


 
Top