PROMOTOR ABRE INQUÉRITO CIVIL PARA APURAR FALTA DE CONDIÇÕES E EFETIVO NAS DELEGACIAS DE GUAJARÁ-MIRIM E NOVA MAMORÉ | Bastidores da Notícia

O promotor do Ministério Público de Rondônia (MP-RO), Eider José das Neves, abriu Inquérito Civil e Ação Pública para apurar denúncia da falta de condições para as atividades dos policiais, delegados e escrivães nas delegacias de Polícia Civil de Guajará-Mirim e Nova Mamoré bem como o desfalque na corporação das mesmas.  
(Foto: Júnior Freitas/Reprodução)


A portaria 05/2017 que aponta tal inquérito foi publicada no Diário Oficial do Tribunal de Justiça de Rondônia (TJRO) nesta quarta-feira (13) e apresenta uma série de considerações que o promotor usou para iniciar os trabalhos e tentar cobrar dos responsáveis as melhorias e adequações necessárias para o funcionamento da Segurança Pública na região.

Eider Neves, inicialmente, fez um questionário com perguntas dirigidas à delegacia de Guajará-Mirim sobre o número total do efetivo, o déficit e quais os respectivos cargos são necessários preencher o quadro para que se torne completo ou ao menos suficiente para o desempenho das atribuições policiais.

As informações devem ser repassadas ao MP-RO no prazo de 10 dias. Depoimentos, solicitação de certidões e perícias também devem ocorrer durante o processo.

As reclamações sobre a redução do efetivo bem como das estruturas dos prédios das delegacias não são atuais e veio a ganhar visibilidade em 2016, quando várias reclamações foram registradas na imprensa local sobre o atendimento nas delegacias daquela região.

Também no ano passado, a delegacia registrou uma situação pouco inusitada tendo em vista que um delegado e quatro policiais foram convocados para trabalhar na Força Nacional no período das Olimpíadas do Rio de Janeiro reduzindo assim consideravelmente os trabalhos na comunidade. 

Matéria: NewsRondônia
 
Top