Primo confessa participação no crime de Jéssica e detalha motivos do assassinato | Bastidores da Notícia



 

Por
Renato Spagnol

O Delegado Regional de Polícia Civil Fábio Campos, e o delegado de Cerejeiras Rodrigo Spiça concederam coletiva de imprensa às 12h00 desta quarta-feira, 26 de abril, para falar sobre o assassinato de Jéssica Moreira Hernandez, de 17 anos, ocorrida naquela cidade.
De acordo com o delegado Spiça, após a prisão dos suspeitos, Diego Parente (à direita na foto) primo do namorado da vítima, pediu para prestar um novo depoimento e confessou ter participado do crime.

A DINÂMICA
Segundo depoimento prestado por Diego, seu primo Ismael estava desconfiado que Jéssica o teria traído e programou um teste de fidelidade em que Diego participaria.

Nas declarações ao delegado, Diego disse que mandou uma mensagem para Jéssica dizendo que precisava mostrar algo a ela. Ao chegarem na casa, Diego convidou Jéssica para entrar no imóvel e ali usou como argumento uma traição de Ismael para com Jéssica meses antes, na tentativa de arrancar dela a possível confissão de traição.

Na ânsia de saber o que Diego teria para mostrar, Jéssica acabou dizendo que também teria traído Ismael.

Ismael que estava já do lado de fora da casa ouvindo a conversa, entrou e empunhando uma barra de ferro, desferiu um golpe contra a cabeça da vítima que desmaiou.

Diego ainda narrou que minutos depois do golpe, Jéssica voltou do desmaio e tentou se levantar, mas foi novamente atingida por outro golpe na cabeça. O primo ainda teria tentado pedir para que Ismael parasse, mas transtornado ele segurou Jéssica pelo braço e a virou de bruços e desferiu o primeiro golpe de faca na região das costas. Em seguida Ismael virou novamente a vítima desferiu outros golpes, um deles na garganta de Jéssica.
Após matar a jovem, Ismael teria dito para Diego: “Agora você está comigo, se não me ajudar eu te mato também”.

Após confirmar que a jovem estava morta, Diego saiu com um carro para buscar a lona e depois desovar o corpo no local onde, na noite de segunda-feira, 24, o corpo foi encontrado.

O delegado Rodrigo Spiça disse que Diego inocentou sua esposa, que até ontem também era suspeita do crime. “Quero deixar claro que a Ediara [esposa de Diego] neste momento não é suspeita de participação no crime. Já enviei ao juiz o pedido de revogação da prisão temporária dela, pois não temos nenhum indício de que ela possa ter participação. No momento do crime a Ediara estava no trabalho, e o que acreditamos é que ela possa ter ficado sabendo do crime através do marido, mas pode ter sido colocada numa condição de não denunciar o marido”, disse Spiça.

ISMAEL SILVA
O namorado de Jéssica, Ismael Silva também prestou depoimento, mas não confessou e disse ter estranheza sobre o depoimento do primo.

Rodrigo Spiça também declarou que não foi identificado abuso sexual contra a vítima. Ele relatou ainda, que o depoimento de Diego bate com os laudos médicos, que apontaram precisamente os locais onde foram desferidos os golpes de faca.

AS INVESTIGAÇÕES CONTINUAM
O delegado pede para que a população não hostilize Ediara, pois sua prisão ocorrida na noite de ontem, terça-feira, 25, se fez necessária para a coleta de depoimentos. Mas reafirmou que até o momento a polícia não tem nenhuma prova que indique sua participação no crime. A bicicleta e pertences da vítima até o momento desaparecidos, estariam segundo Diego, dentro de um poço na casa onde ela foi morta. Equipes dos Bombeiros irão descer no poço para resgatar os objetos.

O delegado também não descartou que Ismael e Diego sejam transferidos para a Casa de Detenção de Vilhena.
 
Top