Com “sarcasmo” característico, Jair Montes é deselegante com vereadora ao debater projeto | Bastidores da Notícia


O vereador Jair Montes (PTC), usou a tribuna na sessão dessa segunda-feira (20) na Câmara Municipal de Porto Velho para defender a mensagem do poder executivo tratando sobre a Superintendência Municipal de Licitação (SML). Na oportunidade, usando do “sarcasmo” característico que se tornou conhecido entre seus pares foi deselegante com a vereadora Ada Dantas (PMN).
Ada Dantas questionou o projeto que cria da SML por não haver um estudo contábil relacionado ao impacto financeiro na folha de pagamento, inclusive idealizou um junto a assessoria jurídica de seu gabinete que previa um gasto de mais de R$ 1 milhão de reais. Em seu entendimento, os vereadores poderiam incorrer em dispositivo da Lei de Responsabilidade Fiscal.
Jair Montes por sua vez, disse que fez parte da gestão anterior e havia problema na licitação e com essa nova medida haverá um incremento no serviço público. Ao seu ver, a servidora nomeada para assumir o cargo tem expertise e está vindo com experiência adquirida em um órgão controle externo. A exemplo citou a licitação do lixo, a qual foi barrada pelo Tribunal de Contas.
A parlamentar insinuou que nem a Assembleia Legislativa votaria um projeto sem estar devidamente embasado e solicitou que o projeto fosse retirado de pauta, no entanto, não foi atendida. Ao seu ver, necessário seria o acréscimo da planilha com o devido impacto afim de que fosse cumprido o rito peculiar de um processo legislativo.  
O vereador se insurgiu dizendo que a vereadora não deveria usar o parlamento estadual como referência, pois a seu ver, uma Casa que aprova o aumento de 11% para 14% da previdência na calada da noite não serve de exemplo. Após dizer que a Superintendência precisaria ser posta em prática, houve a aprovação por 16 votos favoráveis, 3 contrários e uma abstenção.  
Todavia, durante as justificativas dos votos, Ada que votou contrário ao projeto disse ao seu “colega” de parlamento que não precisa trazer exemplo ruim da Assembleia Legislativa porque a aprovação da retirada do Quinquênio dos servidores jogou o nome de todos na lama. Em resposta, Jair lembrou que Ada havia assinado a lista de presença e concluiu: “agora quer dá uma de santa, para cima de mim não” Com informações site Rondônia no ar.
 
Top