Mister Teen RO que matou gerente tinha caso com a vítima, diz polícia | Bastidores da Notícia

Vítima e suspeito chegaram a fazer sexo no local do crime, diz delegado. Mister teria arquitetado crime por ciúmes da vítima que estava namorando.

De acordo com a Polícia Civil, o gerente de banco Gleyson Batista, de 33 anos, foi morto pelo Mister Teen Rondônia 2015, João Victor Doenha, 18 anos, por causa de ciúmes.
Durante o primeiro depoimento à polícia, o mister teria dito que matou por ciúmes da namorada, com quem a vítima já havia mantido um relacionamento. Porém, segundo o delegado Roberto dos Santos, da 1ª Delegacia de Polícia Civil de Ouro Preto, o jovem estava com ciúmes da vítima, com quem também mantinha relações. Inclusive, segundo a polícia, vítima e suspeito tiveram relações sexuais antes do crime.
“Nós acreditamos que o ciúme dele não era da sua própria namorada, mas da vítima. Nós temos a informações que eles mantiveram relações sexuais no morro, pouco antes do crime”, conta o delegado. A namorada deve ser ouvida nesta semana sobre o caso.
Para a Polícia Civil, o crime, apesar de ter motivos passionais envolvidos, foi muito bem planejado. “O João (Mister) tinha um interesse passional e o outro suspeito tinha interesse no veículo. Eles uniram esses interesses”, explica o delegado.
Em depoimento, João Victor disse que ele e o outro rapaz venderiam o veículo da vítima por R$ 50 mil. Na ocasião, o mister comentou que a vítima resistiu na hora de entregar o automóvel e, por isso, ele e os demais suspeitos decidiram assassinar o gerente. Segundo João, um menor de idade, que foi apreendido e encaminhado para Ji-Paraná, também participou do latrocínio.
Crime
A polícia ainda não elucidou completamente como que aconteceu na cena do crime, mas o delegado diz que o mister não participou das agressões físicas. “Os golpes de faca, pelo que tudo indica, foram feitos pelo suspeito que estava interessado no carro e pelo outro maior. O menor não participou das facadas, mas teria dado a pedrada. E o mister teria orquestrado todo o crime”, acredita.
A polícia ainda investiga quem era os três homens vistos conversando coma vítima na conveniência de um posto da cidade. “Ainda não conseguimos confirmar quem eram. Mas quem ligou para ele, pedindo que fosse para o morro, foi João”, afirma.
Depoimentos
Foram ouvidos na terça-feira (29) os quatro suspeitos de envolvimento no latrocínio que aconteceu no último sábado (26) em Ouro Preto do Oeste, região central do estado. Para a polícia o crime foi planejado com antecedência. “Foi um latrocínio muito bem orquestrado”, explica o delegado.
Os quatro foram ouvidos na 1ª Delegacia de Polícia Civil de Ouro Preto. Segundo o delegado, eles apresentaram versões diferentes. “Eles foram ouvidos. Cada um dando sua versão e sem muito encaixe, pois, quando você dá sua versão e sai da linha do crime, isso acaba virando um quebra cabeça que a gente precisa montar”, esclarece Santos.
Pelo menos dois encontros aconteceram para planejar todo o crime. “Realmente, foi um crime bem planejado. Eles fizeram reunião uma semana antes e no dia fizeram outra. Com toda certeza, foi um crime bem orquestrado para que acontecesse”, acredita Roberto.
Assassinato
Gleyson Batista foi encontrado por um grupo de estudantes que fazia trilha no último domingo (27), no morro Chico Mendes, em Ouro Preto do Oeste (RO), região central do estado. De acordo com o boletim de ocorrência, os alunos teriam visto sinais de sangue sobre algumas pedras próximo a um lugar conhecido como “Terceira Rampa”. Os alunos seguiram as pedras sujas e chegaram próximos a uma queda, onde conseguiram ver o corpo da vítima.
Então, chamaram a polícia que foi ao local e constatou o homicídio. A perícia informou à polícia que o corpo apresentava várias perfurações, possivelmente de faca, no pescoço e escoriações pelo restante do corpo. Do primeiro local com marcas de sangue até onde o corpo foi encontrado, mais de 30 metros. A perícia não encontrou no local nenhum sinal de luta corporal.
Segundo as investigações, o homem teria sido visto pela última vez, na conveniência de um posto da cidade. Ele estaria com amigos, quando três homens chegaram e conversaram com ele. Ele voltou para mesa, e depois de receber uma ligação, saiu do local em seu carro, dizendo que voltaria.
fonte: g1/rondonia
 
Top