Pai e filho militares realizam sonho de trabalharem juntos em Rondônia | Bastidores da Notícia

O último domingo, dia 24 de julho, foi um dia de grandes emoções para o Soldado PM Kellvin Kennety Inácio Caciano. Recém ingressado na corporação, o jovem Policial realizou um sonho de criança: executar um dia de policiamento com o pai, o Capitão PM Givaldo Graciano da Silva.
O policiamento com pai e filho foi realizado na Cavalgada de abertura da 28ª Exposição Agropecuária de Alto Floresta – Expoalta. O militar recém incorporado, lotado no 1º Batalhão de Polícia Militar, em Porto Velho, deslocou-se até o município de Alta Floresta para cumprir escala de serviço no 3º Pelotão de Fronteira do 4º Batalhão de Polícia Militar, com a autorização do Comando Geral da PMRO.
“Desde criança eu já tinha o sonho de trabalhar com meu pai. Quando surgiu a oportunidade de prestar o concurso da PM eu me preparei para poder realizar esse sonho de servir a comunidade, assim como meu pai faz há 29 anos”, revelou o Soldado que ingressou na PM em 2016, DSCN9824egresso do Curso de Formação de Soldados da Polícia Militar 2015/2016.
Para a ação de segurança da cavalgada de abertura da Expoalta foi programada a participação de 50 policiais de fora do município, o que tornou a ocasião propícia. O pedido para a realização do sonho partiu do pai, que já aguarda a transferência para a Reserva Remunerada.
“Foi muito bom poder trabalhar pelo menos um dia com meu pai. Eu pude ver a unidade de comando que ele tem. O respeito que ele tem com seus subordinados e o respeito que os subordinados tem por ele. A forma com que ele trata a população é muito interessante”, ressalta o Soldado, que completa: “Trabalhar com ele foi um aprendizado enorme, foi realmente a realização de um sonho. É um espelho que eu tenho, até pela história que ele tem na PM. Ingressar como soldado e conseguir chegar onde ele chegou. São 29 anos dedicados à corporação, só tenho a agradecer o Comando da corporação e ao CECOMS que tornou essa experiência possível”.
DSCN0004 copyPara o Capitão PM Caciano, as 12 horas de serviço tiradas com o filho proporcionou uma satisfação sem tamanho: “Apesar de ser apenas um dia de serviço, eu tentei passar para ele os meus quase 30 anos de Corporação. Mostrar como se trabalha, o respeito que tem que ter pela população, assim como pelos superiores e pelos subordinados”.
Agradecido, o Capitão PM ressalta o sentimento pela corporação ao fim da carreira: “Agradecer a corporação e, em especial, ao Comando Geral, na pessoa do Coronel PM Ênedy por ter me permitido isso. A Instituição me deu isso como retorno. Hoje eu tenho a certeza de que signifiquei alguma coisa para a Corporação, porque ao final, o Comando me fazer uma surpresa dessas. Foi complicado tirar o serviço porque, realmente, a emoção aflora. Nós damos o sangue, mas, ao final, temos o reconhecimento”.
De acordo com o Capitão PM Renato Acácio Suffi, chefe do Centro de Comunicação Social da PM, atitudes como essa são louváveis e dignas de apoio por parte da corporação: “A corporação visa, sempre que possível, aumentar esse espírito de união e de corporativismo positivo dentro da nossa Briosa”. Ressaltou ainda que no momento oportuno será feita a despedida do Capitão, que muito colaborou com o serviço policial militar durante os anos de coturno.

JORNALISTA Paula Casagrande
 
Top