CARDEAL - ‘Elvis Manicaca’ piloto de avião é apontado como chefe do tráfico - ATUALIZADA VÍDEO | Bastidores da Notícia

Rondoniaovivo apurou que o principal chefe da quadrilha alvo da operação Cardeal, preso pela Polícia Federal de Rondônia é Elvis Moreira Rocha vulgo “Manicaca Branca”, piloto de avião que atua no crime de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro em várias cidades do país.
Em coletiva de imprensa, os delegados Leonardo Marino e Flori Cordeio explicaram como a quadrilha agia. As investigações contra o acusado tiveram início no mês de agosto de 2015, quando a polícia deflagrou a operação Nova Dimensão. “Maninaca” era o responsável pelo transporte das drogas, que saiam de Rondônia e tinha como destino cidades do interior do Maranhão, Pará e Ceará.
Foram cumpridos 72 mandados judiciais, sendo 28 de prisão preventiva, 12 de condução coercitivas e 32 de buscas e apreensões nos Estados de Rondônia, Amazonas, Goiás, Maranhão, Rio Grande do Norte e Ceará.
O piloto reconhecido por conhecer bem o espaço aéreo brasileiro, inclusive voando em 'sombras' do sistema de radar da Amazônia, também já foi preso em 1999 em Marabá com cerca de 850kg de cocaina. Na época de sua prisão, foi detectado que o mesmo possuia ligações com o temido cartel colombiano de Calli. 
Ao longo das investigações foram apreendidos cerca de R$ 6.000.000,00 (seis milhões de reais),  diversos automóveis, alguns de alto luxo, aeronaves e rebanhos bovinos, sendo determinado, ainda, o sequestro de 23 (vinte e três) imóveis, além do bloqueio judicial das contas correntes de 42 (quarenta e dois) alvos.
 Das 28 prisões realizadas, 18 foram efetuadas no Estado de Rondônia.
No 'modus operandi' do piloto e sua organização criminosa, com os recursos apurados com o tráfico, faziam a 'lavagem' do dinheiro em empresas de fachada em Porto Velho. Foram lacradas na capital rondoniense por associação ao tráfico uma churrascaria, fármacia, locadora de veiculos, joalheria, distribuidora de bebidas e uma serralheria em Ariquemes.
Elvis foi preso em sua residência, localizada em Porto Velho e levado para a sede da Polícia Federal. O homem também possuía residência e fazenda na cidade de Humaitá-AM e no distrito de Jacy Paraná.


 Fonte: RONDONIAOVIVO
 
Top