Ator, produtor e cantor Luiz Carlos Miele morre aos 77 anos no Rio de Janeiro | Bastidores da Notícia

Faleceu nesta quarta-feira (14), aos 77 anos, o ator, diretor e apresentador Luiz Carlos Miele. Ele foi encontrado já sem vida em sua residência na Zona Sul do Rio de Janeiro. A causa da morte ele teve um mal súbito na manhã desta quarta-feira



Apesar de estar completamente associado ao Rio de Janeiro, Luiz Carlos Miele era paulistano. Começou sua carreira ainda menino, influenciado pela mãe, a cantora e instrumentista Irma Miele, cujo nome artístico era Regina Macedo Miele. Foi locutor de rádio nos anos 1960. Ele trabalhou nas prestigiadas Excelsior e Tupi. Mas foi na TV que o ator ganhou fama, participando de programas e especiais como A Praça da AlegriaAlô Dolly eCoquetel.

Ele também já produziu e dirigiu shows de artistas da MPB como Elis Regina, Roberto Carlos, Wilson Simonal e Alcione. Entre os últimos trabalhos na telinha, destacam-se a Dança dos Famosos no Domingão do Faustão, em 2014 e participação na novela Geração Brasil, do mesmo ano.

A incursão pelo mundo da música contou com a parceria do amigo de longa data Ronaldo Bôscoli, que originou a dupla Miele & Bôscoli. Juntos, eles produziram shows de artistas na geração da bossa nova. Bôscoli inclusive teve um relacionamento com Elis Regina.

Além dos projetos como ator e a agenda de espetáculos, Miele participou durante vários anos, a convite de Roberto Carlos, do projeto Emoções pra sempre, no qual era o responsável pela animação do piano bar e do caraoquê em alto-mar. 

Nos anos 1990, Miele ficou conhecido pelo programa Coquetel, exibido nas noites do SBT. A atração virou fenômeno pelo formato "game show" mais sensual, com as assistentes de palco sempre exibindo os seios de acordo com a brincadeira.

Bookstart/reprodução
Bookstart/reprodução
MEMÓRIAS

No começo do mês, ele lançou a autobiografia Miele, contador de histórias (BookStart, R$ 50), com passagens curiosas da trajetória artística de 66 anos - como o começo acidental na carreira, aos 11 anos: durante a gravação de uma novela na Rádio Excelsior, o ator-mirim escalado para o papel ficou nervoso. A mãe de Miele, Regina Macedo, sugeriu o filho para substitui-lo. Deu certo. 

A publicidade em torno da obra apresentava fotos de Miele com Pelé, Elis Regina, Roberto Carlos, e definia assim o comunicador, com frase de Ziraldo: "Ninguém tem mais histórias divertidas para contar".

O lançamento ocorria em paralelo a shows realizados no Rio de Janeiro para custear a campanha de financiamento coletivo do livro - ainda aberta no site. De acordo com informações da Bookstart, do valor de R$ 30.900, R$ 7.164 haviam sido coletados através da colaboração de 28 pessoas.
 
Top