quarta-feira, fevereiro 21, 2018

Vai sair edital do Banco da Amazônia em breve

O concurso do Banco da Amazônia está próximo de ser aberto, o edital deve sair em breve, com vagas para Rondônia, Acre, Amazonas, Pará, Amapá, Roraima, Mato Grosso, Maranhão e Tocantins. Nesta segunda-feira, 18, foi publicado no Diário Oficial da União o extrato do contrato com a Fundação Cesgranrio para a realização do concurso.

Por: Pci Concursos 
Diário Oficial da União o extrato do contrato com a Fundação Cesgranrio
para a realização do concurso.



As vagas vão ser para técnico cientifico, que exige formação superior em medicina e técnico bancário, tendo como requisito o ensino médio completo, além de outras especialidades que vão ser informadas no edital.



Os salários iniciais são no valor R$ 1.950,42 para técnico bancário.com jornada de 30 horas semanais, e R$ 2.357,84 para técnico cientifico com jornada de 20 horas. A contratação de aprovados será sob regime celetista.


O concurso terá questões objetivas com questões de língua portuguesa, matemática, atualidades, ética e noções de informática. O conteúdo programático e as disciplinas exigidas são diferentes de acordo com o cargo. As provas serão realizadas nas cidades de Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Manaus (AM), Cuiabá (MT), Macapá (AP), Belém (PA), Boa Vista (RR), Palmas (TO), Santarém (PA) e São Luís (MA).


O Concurso terá validade de 1 ano, contando a partir da data de homologação. O último concurso realizado para o cargo de técnico bancário ocorreu no ano de 2015. Com informações do pciconcursos.com.br
Read More

Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Federal fazem protesto em Brasília

Os auditores fiscais da Receita Federal fazem protesto na entrada do Ministério da Fazenda, em Brasília, contra a demora na regulamentação do bônus de produtividade e eficiência, definido no acordo coletivo de 2016.
São cerca de 50 manifestantes, que esperam ser recebidos pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles


Segundo informações da Agência Brasil, São cerca de 50 manifestantes, que esperam ser recebidos pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Até o momento, ficou definido que serão recebidos pelo secretário da Receita, Jorge Rachid, com uma comissão de seis auditores. 

Segundo o presidente do Conselho de Delegados Sindicais, do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco), Kurt Krause, enquanto o recebimento do bônus não é regulamentado, com metas a serem cumpridas, os auditores estão recebendo R$ 3 mil fixos por mês, desde janeiro de 2017. Trabalhadores em educação de Rondônia vão às ruas em todo o Estado


Os auditores estão fazendo paralisações e operação padrão desde novembro do ano passado. Em outubro, eles interromperam as paralisações na expectativa de que o bônus fosse regulamentado. Como a regulamentação não ocorreu, voltaram a fazer paralisações na fiscalização. Com informações da agenciabrasil.ebc.com.br
Read More

terça-feira, fevereiro 20, 2018

Trabalhadores em educação de Rondônia vão às ruas em todo o Estado

RONDÔNIA - Em Porto Velho a categoria se concentrou na Sede Administrativa do Sintero, de onde saiu em passeata pelas ruas do centro da cidade para se juntar aos trabalhadores de outras categorias como bancários, servidores federais, urbanitários e trabalhadores da agricultura familiar.
(Foto: Divulgação/Reprodução)
A passeata percorreu parte do centro comercial da Capital e terminou na Praça do antigo Palácio do Governo, onde foi realizado um ato público para mostrar aos deputados federais e aos senadores que a classe trabalhadora de Rondônia é contra a proposta do governo de reforma da previdência. - O que é a Reforma da Previdência (PEC 287)

Com o lema “QUEM VOTAR SIM, NÃO VOLTA”, uma campanha foi colocada em prática para dizer aos parlamentares que os trabalhadores não votarão na reeleição de candidato que votar a favor da reforma da previdência. A pressão aos deputados federais e senadores para que não aprovem a reforma da previdência seguirá com outdoors, panfletagem nas ruas e adesivos nos carros. - Reforma da Previdência "não é muito ampla", diz Temer
A presidente do Sintero, Lionilda Simão, à frente da manifestação, disse que a classe trabalhadora não pode ser condenada a pagar a conta da previdência para manter os privilégios de uma minoria.

Em vez de sacrificar ainda mais os trabalhadores, o governo precisa cobrar a dívida dos sonegadores da previdência e cortar os privilégios existentes em alguns setores. Vamos às ruas quantas vezes forem necessárias para denunciar esse abuso do governo e dizer NÃO à essa proposta de reforma da previdência que o governo quer impor”, disse.
Autor: Assessoria de Imprensa – Sintero
Read More

segunda-feira, fevereiro 19, 2018

USINAS: Elevação das cotas do rio Madeira está na pauta do legislativo

Em nota, a assessoria de imprensa da casa de leis informa, que o regimento interno determina a abertura das atividades sem a Ordem do dia.
o poder legislativo do Estado de Rondônia, iniciará suas atividades e tudo será transmitido ao vivo pelas redes sociais da Assembleia Legislativa. Em nota, a assessoria de imprensa da casa de leis informa, que o regimento interno determina a abertura das atividades sem a Ordem do dia, ou seja, não haverá votação de projeto algum no plenário.
(Foto:  MAPPING RONDÔNIA/Reprodução)


A partir das 15h00 desta terça-feira (20), o poder legislativo do Estado de Rondônia, iniciará suas atividades e tudo será transmitido ao vivo pelas redes sociais da Assembleia Legislativa. Em nota, a assessoria de imprensa da casa de leis informa, que o regimento interno determina a abertura das atividades sem a Ordem do dia, ou seja, não haverá votação de projeto algum no plenário.


De acordo com a nota do DECOM, apenas discursos dos parlamentares e a mensagem do governo estão previstos para esta terça-feira. Segundo assessores da casa de leis, o clima é ameno, pois no final do ano passado, os deputados confirmaram no plenário, que o projeto de lei da elevação das cotas seria votado na primeira sessão ordinária.

No entanto, esse projeto pode entrar em pauta na próxima quarta-feira (21). As informações, extra-oficial declaram que a Ordem do Dia pode ser oficializada no momento da abertura dos trabalhos. Contudo, essa pauta é uma das primeiras a ser votada. Informações Mapping Rondônia. 



+++ BARRAGEM: Santo Antônio Energia negocia liberação para aumento do lago


+++ CHEIA 2014: Governo do Acre ajuizará ação contra a UHE Jirau


Read More

Categorias paralisam atividades e fazem ato contra a reforma da previdência

Ato aconteceu na manhã desta segunda-feira (19) em Porto Velho e no interior do estado. Manifestantes saíram em passeata pelas ruas da cidade por volta das 10h, na capital.
Várias categorias paralisaram as atividades nesta segunda-feira (19) em um ato contra a reforma da previdência, do Governo Federal, em Porto Velho e no interior de Rondônia.
(Foto: Porto Velho - RO/Reprodução)


As categorias paralisaram as atividades nesta segunda-feira (19) em um ato contra a reforma da previdência, do Governo Federal, em Porto Velho e no interior de Rondônia. Na capital, os manifestantes se reuniram na Avenida Sete de Setembro, em frente a Eletrobras.



Por volta das 10h, o grupo iniciou uma passeata, que percorreu algumas vias da região central da cidade. Cerca de 200 pessoas participaram da manifestação nesta manhã, segundo a organização. A Polícia Militar (PM) não acompanhou o movimento. O ato foi encerrado por volta das 11h.

A manifestação foi coordenada pela Frente Brasil Popular. Participaram ainda do movimento, pelo menos, o Fórum das Entidades Trabalhadoras de Rondônia (Fetraron), Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia (Sintero), Sindicato dos Urbanitários (Sindur), Sindicato dos Servidores Federais de Rondônia (Sindsef), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Sindicato dos Produtores Rurais de Porto Velho, Sindicato dos trabalhadores da Fiocruz (Asfoc), Central única dos Trabalhadores (CUT) e estudantes.

João Anselmo, coordenador da Frente Brasil Popular, falou sobre o movimento. “O objetivo é contra a reforma da previdência, demonstrar para as autoridades que o povo não quer a reforma da previdência e ao mesmo tempo demonstrar aos parlamentares que vão votar: ‘olha nós não estamos contentes com essa reforma e com o posicionamento que vocês podem tomar”, disse.

Os manifestantes saíram em passeata por volta das 10h pela Avenida Sete de Setembro, depois seguiram pela Rua José de Alencar, Avenida Carlos Gomes até chegarem à Praça das Três Caixas D’Água por volta de 10h40.

A professora Alexandra Lamarão Brasil participou da manifestação e explica o motivo que a levou para as ruas. “A [manifestação] de hoje é muito importante por conta da gente estar lutando pela não reforma da previdência, isso é um assassinato ao pobre trabalhador. Porque os ricos não têm essa necessidade, são os trabalhadores de todos os setores que movem o Brasil que vão ser os maiores prejudicados”, afirmou.

Após realizarem o percurso da passeata, os manifestantes permaneceram até por volta da 11h30 na Praça das Três Caixas D’Água, horário em que a manifestação foi encerrada.


+++ O que é a Reforma da Previdência (PEC 287)

+++ Reforma da Previdência "não é muito ampla", diz Temer


Ariquemes

Em Ariquemes (RO), no Vale do Jamari, também houve protesto de diversas categorias na manhã desta segunda-feira contra a reforma da previdência. Os manifestantes saíram em passeata a partir das 9h.


Em Ariquemes (RO), no Vale do Jamari, também houve protesto de diversas categorias na manhã desta segunda-feira contra a reforma da previdência. Os manifestantes saíram em passeata a partir das 9h.
(Foto: Ariquemes  - RO/Reprodução)
O percurso passou pela Avenida Tancredo Neves, a principal da cidade. Segundo os organizadores, cerca de 200 pessoas participaram do ato, que terminou por volta de 11h. A Polícia Militar (PM) não acompanhou a manifestação.


Participaram, pelo menos, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia (Sintero), representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cujubim, do Sindicato dos Agentes Penitenciários e movimentos sociais.

Cacoal
Em Cacoal (RO), a 480 quilômetros de Porto Velho, a paralisação contra a reforma da previdência começou por volta das 8h. Os servidores se reuniram em frente ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).
(Foto: Cacoal - RO/Reprodução)


De acordo com os organizadores, participaram da ação cerca de 150 funcionários públicos, dos Sindicatos dos Servidores Federais (Sindsef), Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Cacoal (Sinsemuc), Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado de Rondônia (Sintero), Sindicato dos Trabalhadores Federais em Saúde e Previdência (Sindsprev), Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cacoal (STTR).


Durante a ação, os representantes dos sindicatos discursaram sobre as mudanças na reforma previdência e coloraram os pontos de vista sobre o motivo de serem contrários à proposta. A PM não esteve no local acompanhando a manifestação, que ocorreu de forma pacífica. A paralisação encerrou às 11h.

Ji-Paraná
Em Ji-Paraná (RO), a cerca de 370 quilômetros de Porto Velho, a manifestação acontece em frente ao INSS, na Rua Presidente Vargas, no Centro. De acordo com a organização, o movimento iniciou por volta das 8h30 e encerrou por volta das 14h.
Em Ji-Paraná (RO), a cerca de 370 quilômetros de Porto Velho, a manifestação acontece em frente ao INSS, na Rua Presidente Vargas, no Centro. De acordo com a organização, o movimento iniciou por volta das 8h30 e encerrou por volta das 14h.
(Foto: Ji-Paraná - RO/Reprodução)

 O secretário da coordenação municipal do Sindicato de Servidores Públicos Federais (Sindisef), Ildo Mussoi, há representes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (Fetagro), dos Bancários (SEEB), dos Trabalhadores em Educação do Estado de Rondônia (Sintero), representantes municipais e também da iniciativa privada.


Não concordamos com a reforma da previdência como está sendo proposta. A gente entende que são necessários ajustes na previdência, mas que seja discutido com a população”, afirma Mussoi. (Informações Secom Rondônia)
Read More